Professor da UnB é acusado de agredir e ameaçar ex-companheira por mais de 8 horas, dentro de apartamento

UNB-1.jpg

Mulher fica machucada após ser agredida por ex-companheiro, professor da UnB — Foto: Arquivo pessoal

Segundo vítima, ciúmes teria motivado violência. Caso foi denunciado na Delegacia da Mulher, em Ceilândia; Justiça emitiu medida protetiva contra agressor

http://www.instagram.com/gov_df

Um professor da Universidade de Brasília (UnB) é acusado de agredir e ameaçar a ex-companheira por mais de 8 horas, dentro do apartamento dele, em Taguatinga, no Distrito Federal. A vítima conta que chegou a trancada dentro de um quarto e que foi ameaçada com uma faca.

“Ele pegou a faca, colocou no meu rosto e falou: ‘Eu vou acabar com você, eu vou matar você, eu vou te matar, eu vou te matar'”, conta a mulher.

O caso ocorreu na quinta-feira (21), mas só foi divulgado nesta quarta (27). De acordo com a vítima, o ciúmes de um vizinho teria motivado a violência (saiba mais abaixo), a reportagem não conseguiu falar com o professor.

A mulher, que não quer ser identificada, contou, que só conseguiu sair do apartamento depois de garantir que não denunciaria o homem. No entanto, ao deixar o prédio, ela foi até a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam), em Ceilândia, e registrou um boletim de ocorrência.

Ela ficou ferida nos braços e nas pernas. A Justiça do Distrito Federal emitiu uma medida protetiva, que impede que ele volte a se aproximar da ex-companheira.

No processo, a juíza Nádia Vieira de Melo Ladosky, do Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, de Taguatinga, alega que “a situação merece intervenção do Judiciário, a fim de que a integridade física e psicológica da requerente sejam protegidas pelo Estado”.

“Mostrando-se recomendável o deferimento da medida protetiva de proibição de aproximação com a vítima, bem como a proibição de contato com ela, por qualquer meio de comunicação”, diz a decisão.

Agressões

À polícia, a mulher contou que ia com o ex-companheiro para a academia do condomínio onde ele mora, quando um vizinho a cumprimentou. Ela respondeu ao cumprimento, mas o professor universitário não teria gostado.

“Fomos para a academia. Quando ele voltou, já não era mais a mesma pessoa. Fechou a porta: ‘não, eu não gostei que você tenha cumprimentado aquele rapaz, aquele babaca’”, conta a mulher.

Segundo a denúncia, o professor entrou no quarto, puxou a mulher, e trancou a porta. Segundo ela, o homem a manteve presa das 9h às 17h30 de quinta-feira (21).

Ciúme excessivo e pedido de casamento

A mulher conta que conhece o homem há cerca de 25 anos, mas que o relacionamento durou dois anos. Eles não moravam juntos, e nem têm filhos em comum.

Durante o relacionamento, ela diz que percebeu um ciúme excessivo por parte dele, mas afirma que o homem nunca tinha sido agressivo. Dois dias antes do crime ele a pediu em casamento.

“Como é que uma pessoa que te pede pra casar numa terça-feira, na quinta tenta te matar. Como assim? Aonde eu me perdi, né? Que filme de terror é esse que eu entrei?”

A UnB informou que ainda não recebeu nenhum comunicado formal sobre a denúncia e que “cabe aos órgãos competentes tomar as providências necessárias”. A universidade afirma que repudia “todo e qualquer ato de violência contra as mulheres” e que vem se esforçando para promover os direitos humanos e a erradicação da violência.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

scroll to top