Curso aquaviário

Bertolucci-scaled-e1649192159654.jpg

Ao centro, Comandante da Capitania Fluvial de Brasilia, capitão de corveta, Gubio de Oliveira, e a direita o presidente da ASBRANAUT, Joao Carlos Bertolucci. Nas extremidades, à direita o sócio proprietário da escola náutica você no comando. À esquerda o Sub-oficial Toledo - Foto: Divulgação

Presidente da Asbranaut se reúne com comandante da Capitania Fluvial de Brasília e propõe a realização de curso para suprir a carência dos profissionais do setor náutico brasiliense

http://www.instagram.com/gov_df

O presidente da Associação náutica, esportiva e do turismo de Brasília (ASBRANAUT)João Carlos Bertolucci, esteve reunido, na última quarta feira 30/03, com o comandante da capitania fluvial de Brasília, Gubio Oliveira, para pedir ao órgão da Marinha do Brasil, que seja aberta uma nova turma para o curso de formação para aquaviários, o último ocorreu há dois anos.

Conforme o presidente da Asbranaut, João Bertolucci, nos últimos anos houve um significativo aumento da demanda por profissionais com carteira de habitação náutica na categoria aquaviário, em decorrência do aumento de barcos para transporte de passageiros. “O mercado local carece desse profissional. Afinal de contas já passou mais de 2 anos do último curso, realizado em Brasilia. De lá para cá cresceu muito o número de vagas para profissionais habilitados nessa categoria”.

O presidente da Asbranaut também ressaltou que muitos aquaviários, trabalham em barcos de esporte e recreio, deixando o mercado do turismo carente dessa mão de obra especializada. “Por esses profissionais serem mais capacitados do que quem tem a carteira de Arrais Amador, eles são muito solicitados, também, para prestarem serviços em barcos particulares. Isso acaba prejudicando o setor do turismo náutico. Tem barco de passeio que precisa de até 3 aquaviário” pontua Bertolucci.

Para dar um fôlego para o setor, o comandante da Capitania Fluvial de Brasília, Gubio de Oliveira, disse que vai ser lançado, nos próximos dias, edital para a realização do CFAQ, com 30 vagas. No entanto, poderão participar interessados de todo o Brasil. “Vamos lançar o edital nos próximos dias para atender todo o mercado nacional”, afirmou o comandante.

O capitão de corveta ressalta que boa parte dos candidatos são de outras unidades da federação. E os formandos acabam não atendendo o mercado brasiliense.

Para tentar amenizar o problema, da carência de aquaviários no mercado brasiliense, o presidente da Asbranaut, propôs fazer uma parceria com a Capitania para que seja aberta outra turma do CFQA. A ideia é que a associação faça a inscrição dos candidatos e pague os custos do curso para a capitania. A ideia foi bem aceita pelo comandante e será levada ao comando geral para ser debatida.

Também foi discutido o nível da água do lago Paranoá, que nos últimos dias, tem baixado de forma sinuosa. O comandante também solicitou ao presidente da ASBRANAUT, mais atenção dos donos de barcos de passeio com os cabos das poitas que ficam no Pontão. Para Gubio, os cabos das poitas estão avançando muito além da margem, podendo causar acidentes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

scroll to top