Suspeito de matar jovem encontrada seminua em córrego no DF é solto após audiência de custódia

Recanto-3.jpg

Viviane Silva, de 19 anos, foi encontrada morta em córrego no DF — Foto: Arquivo pessoal

Liberdade provisória foi concedida na manhã deste domingo (5). Caso é investigado como homicídio duplamente qualificado; reportagem não conseguiu contato com defesa

http://www.instagram.com/gov_df

O suspeito de matar Viviane Silva, de 19 anos, encontrada seminua em um córrego no Setor Habitacional Água Quente, no Recanto das Emas, no Distrito Federal, foi solto provisioriamente após passar por audiência de custódia na manhã deste domingo (5).

Antônio Silva, de 40 anos, foi preso na noite de sexta-feira (3), após a Polícia Civil do DF identificar contradições no depoimento dele. Segundo investigações, o homem foi a última pessoa vista com a vítima, antes dela ser encontrada morta, na tarde de quinta-feira (2).

O caso é investigado como homicídio duplamente qualificado. A reportagem tentou contato com a defesa do suspeito, mas não obteve retorno.

Encontro e contradições

O delegado-chefe da 27ª Delegacia de Polícia, no Recanto das Emas, Pablo Aguiar, responsável pela investigação, disse que na quarta-feira (1º), vítima e suspeito saíram sozinhos pela primeira vez. Eles já haviam se encontrado outras vezes, mas sempre acompanhados de algum familiar da jovem.

No depoimento, o homem contou que beijou a vítima naquela noite, com o consentimento dela. Eles teriam ficado em um bar até 23h40, e depois ido a um parque de diversões que funciona perto de uma igreja, no Recanto das Emas.

À polícia, o suspeito contou que deixou a vítima no parque com um casal e um homem e foi embora. Testemunhas, no entanto, disseram que apenas autor e vítima foram vistos juntos e que eles não estavam acompanhados de mais ninguém com as características descritas pelo homem.

O Instituto de Medicina Legal (IML) constatou que Viviane morreu afogada. No entanto, havia uma lesão craniana que, segundo a Polícia Civil, ocorreu por alguma pancada na cabeça, que está sendo investigada.

A vítima morava em Santo Antônio do Descoberto, no Entorno do DF, era a caçula de sete irmãos e tinha dificuldades de locomoção. Por isso, andava com a ajuda de muletas, que foram encontradas na beira do córrego.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

scroll to top