Saiba quem é a mulher que morreu após ser arremessada da plataforma superior da Rodoviária

Acidente-Rodoviaria.jpg

Gisele Boaventura Silva, de 54 anos, morreu após ser arremessada da plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto, em Brasília — Foto: Reprodução/Redes sociais

Gisele Boaventura Silva, de 54 anos, estava sentada na parada de ônibus quando foi atingida por um carro desgovernado. Acidente foi na manhã desta quarta-feira (6)

http://www.instagram.com/gov_df

A mulher que morreu após ser arremessada da plataforma superior da Rodoviária do Plano Piloto, em Brasília, na manhã desta quarta-feira (6), é a empregada doméstica Gisele Boaventura Silva, de 54 anos. Ela estava sentada na parada de ônibus quando foi atingida por um carro desgovernado e jogada para a parte de baixo, no Eixo Monumental.

Gisele morava em Taguatinga e trabalhava na casa de uma família no Lago Sul. Outras seis pessoas ficaram feridas no acidente.

Veja informações sobre as vítimas:

  • Uma bebê de 5 meses, que foi arremessada do colo da mãe, no momento da batida, teve uma fratura na tíbia e no pé. Ela foi liberada e levada para casa por um familiar.
  • mãe da criança, de 40 anos, é a única que continua internada no Hospital de Base. Ela ficou prensada entre o carro e a estrutura da parada, e teve fraturas na tíbia, fíbula e no fêmur da perna esquerda.
  • motorista do carro, de 56 anos, apresentava um ferimento na testa e dor torácica;
  • A mulher dele, passageira do veículo, de 36 anos, também apresentava dor torácica. Depois da alta médica, os dois foram prestar depoimento na delegacia.
  • Um homem, de 39 anos, apresentava um ferimento na cabeça e dor na cervical. Também recebeu alta.
  • Outro homem, também de 39 anos, tinha escoriações pelo corpo e foi liberado.

Atropelamento

A parada de ônibus onde as vítimas estavam fica bem próxima do muro de contenção da plataforma superior.

Segundo a Polícia Militar, o motorista do carro passou por um teste do bafômetro, que não indicou alcoolemia. O homem estava desorientado e, aos bombeiros, a mulher dele disse que o marido dirigia o veículo quando teve uma convulsão.

A esposa também afirmou que tentou assumir a direção do carro, mas não conseguiu. Testemunhas disseram que ela saiu do carro muito abalada, e tentou ajudar as demais vítimas.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

scroll to top