Covid-19: 743 mil pessoas no DF estão com dose de reforço atrasada

Vacinacao.jpg

Vacinação contra Covid-19 no DF, em imagem de arquivo — Foto: Breno Esaki/Agência Saúde do DF

Índice de contaminação está em 1,28 e indica crescimento da pandemia. Especialista alerta para importância da conclusão da imunização e uso da máscara de proteção

http://www.instagram.com/gov_df

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal estima que 743 mil pessoas estão com a dose de reforço da vacina contra Covid-19 – ou terceira dose – em atraso. Isso representa que 29,6% das 2.509.694 pessoas que iniciaram a imunização, não voltaram aos postos para completar o ciclo.

Ao todo, 90,26% das pessoas de Brasília, com 5 anos ou mais, tomaram a primeira dose. Mas apenas 84,09% fizeram a segunda dose, por exemplo (veja gráfico abaixo).

Fonte: Secretaria de Saúde do DF

A infectologista do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), Ana Helena Germoglio, alerta que a taxa de transmissão do coronavírus está em alta e que a conclusão da imunização e o uso da máscara de proteção são essenciais.

“O que temos de evidência hoje, é que se tem uma maior proteção contra a Covid-19 quando se toma as três doses da vacina. Por isso, não tem como prever o que acontece quando alguém deixa de se vacinar em alguma das fases”, diz a médica.

Nesta terça-feira (24), segundo a Secretaria de Saúde, a taxa de transmissão está em 1,28 em Brasília. O número indica que cada 100 pessoas infectadas podem transmitir a doença para outras 128, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Esse é o preço que estamos pagando pela falta do uso de máscaras. Os casos também subiram porque tivemos um carnaval e dois feriadões”, aponta a infectologista.

Mais pessoas contaminadas e falta de conscientização

Máscaras de proteção facial — Foto: G1

Segundo a infectologista Ana Helena Germoglio, a presença de pacientes com Covid-19 tem se tornado mais frequente no hospital.

“Atendi um caso em que os pais não vacinaram os filhos adolescentes e não tomaram a dose de reforço. A conclusão foi a família toda doente”, conta.

A infectologista acredita que dois problemas principais impactam na procura pelo reforço da vacina. O primeiro deles, segundo a especialista, é de que a população “acredita que a pandemia já passou” e o segundo, a falta de informação.

“Já atendi pacientes que sequer sabem que, por exemplo, existe uma quarta dose para imunossuprimidos. Acredito que é necessário dar mais acesso à informação para essas pessoas”, diz a infectologista.

Sobre o quadro atual da pandemia, Ana Helena acredita que a taxa de transmissão deve estar maior do que o notificado pela Secretaria de Saúde, já que muitas pessoas deixam de fazer o teste.

Casos no DF

Desde o início da pandemia de Covid-19, até terça-feira (24) o Distrito Federal registrou 702.835 casos conhecidos da doença e 11.689 perderam a vida. De acordo com a Secretaria de Saúde, foram 520 novos casos conhecidos em relação aos registros de segunda-feira (23).

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

scroll to top