Home CIDADES Uso obrigatório de máscaras preocupa pais e familiares de autistas

Uso obrigatório de máscaras preocupa pais e familiares de autistas

244
0
Compartilhar
Foto: Divulgação

Grupo é mais sensível ao contato do tecido com a pele e tem dificuldade na utilização. Segundo Secretaria de Saúde, exceções serão consideradas na fiscalização

O uso obrigatório de máscaras no Distrito Federal tem preocupado pais de crianças e jovens autistas. A utilização dos equipamentos é um desafio para eles, que sentem incômodo por conta do toque entre o tecido e a pele.

Com o início da fiscalização e aplicação de multas de R$ 2 mil a pessoas que descumprirem o uso dos equipamentos, pais e familiares de autistas pedem regras mais flexíveis.

Em nota, a secretaria de Saúde afirma que “possíveis exceções devem ser levadas em consideração no momento da abordagem e posterior aplicação da multa. Além disso, o decreto prevê prazo de 10 dias para apresentação de eventual impugnação junto ao órgão emitente do ato administrativo”.

A dificuldade de colocar a máscara no filho preocupa a design de interiores Euzi Arrais, mãe do Enzo Câmara, de 14 anos. O filho é autista e precisar sair de casa para ir ao médico ou caminhar. Moradora da Asa Sul, Euzi explica que sair de casa quando as ruas estão vazias ajuda o filho a se acalmar.

“Desde que começou a pandemia, a nossa rotina tem sido de ir pra lugares abertos, porque ele gosta de ver o movimento dos ônibus. O Enzo não gosta de usar máscara, eu tenho receio que em algum momento a gente seja abordado pelo fato de ele não aceitar esse uso”

A família de Gabriel Angelim, de 7 anos, vive dificuldade parecida. A mãe dele, a servidora pública Débora Angelim, diz que o período de isolamento quebrou a rotina da família, mas principalmente a do Gabriel, que é autista.

“Ele precisa sair de casa, gastar energia. Pra gente, as saídas terapêuticas são extremamente necessárias. Mas ele tem transtorno sensorial, não suporta nada na cabeça. Não usa óculo, touca, nem máscaras”

O que dizem os especialistas

O psicólogo Marlon Costa explica que pessoas com autismo apresentam dificuldades sensoriais e comportamentais. Por isso, o contato da máscara com a pele pode causar até a sensação de sufocamento.

“O autismo tem níveis do mais leve ao mais grave e essas pessoas possuem uma sensibilidade maior a estímulos. Alguns podem ser treinados para usar máscara, é possível, mas outros não vão conseguir usar.”

Presidente da Associação Brasileira de Autismo, Comportamento e Intervenção (Abraci-DF), Lucinete de Andrade afirma que desde que o uso obrigatório de máscaras foi implementado no DF, cresceram as queixas de pais associados. Por isso, a associação pede ao GDF a criação de materiais educativos.

“As famílias não conseguem ficar um dia todo com uma criança ou adolescente autista em casa. O autismo já causa uma ansiedade, então é difícil apresentar um item estranho a eles, como a máscara, e obrigá-los a usar. Por isso, essa obrigatoriedade não pode levar em consideração casos como o do autismo. É preciso criar material educativo pra motorista de ônibus, por exemplo, e pro público em geral”, afirma Lucinete.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

17 + 20 =