Home CIDADES MPDFT cria programa para auxiliar na busca de pessoas desaparecidas

MPDFT cria programa para auxiliar na busca de pessoas desaparecidas

183
0
Compartilhar
Campanha feita para chamar a atenção sobre o Dia Internacional da Pessoa Desaparecida, em imagem de arquivo — Foto: Clayton Esteves

Iniciativa integra MPDFT à Política Nacional. Veja como informar desaparecimentos

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) lançou, nesta terça-feira (10), o Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos (PLID). A iniciativa integra a instituição à Política Nacional de Busca de Pessoas Desaparecidas.

A ideia, explica o MP, é criar um banco de dados com informações para a localizar essas pessoas. O programa também prevê estudos e ações de capacitação e de divulgação relacionadas ao tema.

A população poderá registrar os casos de desaparecimento ou de possível localização, por meio de um formulário online. No documento, é preciso informar as características físicas do desparecido ou possível encontrado.

Dados para o formulário

  • Número do Boletim de Ocorrência
  • Dados da vítima
  • Fotos da vítima
  • Contato do denunciante

As informações alimentam o sistema em um banco de dados nacional, a partir do qual são realizadas as buscas pela equipe do PLID.

O PLID será vinculado ao Núcleo de Direitos Humanos (NDH) do MP e será responsável, entre outras atribuições, pela coleta e o registro de documentos das pessoas desaparecidas e localizadas no Sistema Nacional de Localização e Identificação de Desaparecidos (Sinalid), assim como a integração de órgãos públicos, entidades privadas e sociedade civil organizada envolvidos no fenômeno do desaparecimento.

O MP chama a atenção que o registro de desaparecimento não substitui o Boletim de Ocorrência feito em uma Delegacia de Polícia. “O BO é o instrumento que inicia o processo de investigação oficial para a busca e localização do desaparecido”, afirmam os promotores.

Mediante algum desaparecimento, deve-se procurar uma Delegacia para notificar o ocorrido. Não é necessário esperar 24 horas para fazer o Boletim de Ocorrência.

Dados da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal mostram que em 2018 foram registrados 2, 5 mil desaparecimentos. Desses, apenas 11% foram solucionados.

Os números também mostram que Ceilândia foi a região do DF com o maior número de casos.

Desaparecimentos em 2018

  • 2.513 registros
  • 11% dos casos solucionados
  • 36% tinham idade entre 12 e 17 anos
  • 66% do sexo feminino

Por região

  • Ceilândia: 377 desaparecimentos
  • Taguatinga: 226 desaparecimentos
  • Samambaia: 213 desaparecimentos

Fonte: G1

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

11 + 4 =