Home CIDADES Estado de alerta devido à seca deve durar até quinta-feira

Estado de alerta devido à seca deve durar até quinta-feira

89
0
Compartilhar
Foto: Oswaldo Reis

Aviso emitido pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) adverte sobre a queda perigosa no índice, que nesta segunda (15/7) chegou a 17%. No período, aumenta o risco de doenças respiratórias e renais, além de queimadas em áreas florestais

O Distrito Federal entrou, oficialmente, em estado de alerta devido à queda da umidade relativa do ar mínima. Na tarde desta segunda-feira (15/7), o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um aviso meteorológico laranja, indicando situação de perigo. O índice ficou em 20% em Brasília e chegou nesta terça-feira (16/7) a 17% na região norte do DF. A advertência deve continuar até quinta-feira. De acordo com o órgão, a situação pode provocar consequências, como ressecamento da pele, desconforto nos olhos, na boca e no nariz, além de incêndios florestais.

Somente na tarde de segunda-feira (15/7), o Corpo de Bombeiros atendeu a três chamados de queimadas simultâneas — no Paranoá, em Samambaia e em Sobradinho. Nas duas primeiras cidades, as equipes precisaram de reforços. No Paranoá, as chamas começaram por volta das 11h, em uma região de pinheiros. Cerca de 20 militares atuaram no controle do fogo. “Aqui é uma área de desmatamento. Além do vento, há muitos galhos de pinheiros cortados, o que dificulta o combate”, afirmou o sargento Alberto Francisco. Segundo ele, o fogo atingiu uma área de, aproximadamente, 69 hectares, o equivalente a 97 campos de futebol.

Ainda nesta segunda-feira (15/7), a corporação deu início a operações de queima controlada em Áreas de Proteção Ambiental (APAs) das bacias Gama e Cabeça de Veado. Denominada aceiro negro, a intervenção é feita em períodos críticos de seca para evitar que incêndios florestais tomem proporções maiores e para reduzir riscos de acidentes e mortes de animais. A prática permite a criação de espaços vazios dentro da vegetação para que o fogo não se alastre. Os trabalhos terminam amanhã e formarão uma linha de 25km. Entre 1º de junho e 14 de julho, o DF perdeu, em áreas florestais, o equivalente a 1.793 campos de futebol devido a queimadas.

O estado de perigo diante do tempo seco permanece nesta terça-feira (16/7). Segundo o Inmet, à tarde, momento mais quente do dia, a umidade relativa do ar mínima deve continuar abaixo de 20%. A previsão é de céu claro a parcialmente nublado, e a temperatura máxima pode chegar a 28°C. “A umidade deve cair ainda mais nos próximos dias, principalmente a partir de quinta-feira”, explica Hamilton Carvalho, meteorologista do instituto.

O frio também deve tomar conta da capital até o fim da semana. “As temperaturas mínimas registradas durante a madrugada devem cair para 8°C, e a máxima deve chegar a 26°C”, ressaltou Hamilton. Segundo ele, o período de baixa umidade está “apenas começando”. “Julho ainda é ruim, mas o nosso mês crítico é agosto. É um sintoma natural do DF, onde até a vegetação seca”, disse.
A queda da temperatura e da umidade é característica do inverno no Distrito Federal. A estação teve início em 21 de junho. Em março, quando começou o outono, o clima entrou em transição do quente e úmido para o frio e seco. Agora, a previsão do Inmet é de que o quadro se mantenha crítico até o início da primavera, no fim de setembro, quando as chuvas voltarão a fazer parte da vida do brasiliense. “Em setembro, temos um mês irregular, e o tempo deve variar bastante (neste ano)”, afirmou o meteorologista.
Em 2002, 2004 e 2011, a umidade relativa do ar mínima bateu recorde, com registro de 10%. Segundo o Inmet, é possível que, entre agosto e setembro, esse índice se repita. Enquanto isso, a população sofre com a secura. A professora Maria Bianca Silva, 22 anos, e a dona de casa Ângela Maria da Silva, 53, apostam na hidratação para amenizar os efeitos da seca. “Durante o dia, é essa secura. À noite, vem o frio. Eu acordo quatro vezes para tomar água durante a madrugada”, comentou Maria Bianca.

Escala

Graus de severidade dos avisos meteorológicos, segundo o Inmet

Verde: nada previsto

» Situação meteorológica que não inspira cuidado/atenção

Amarelo: perigo potencial

» Cuidado na prática de atividades sujeitas a riscos de caráter meteorológico e mantenha-se informado sobre as condições previstas e não corra risco desnecessário

Laranja: perigo

» Mantenha-se vigilante e informe-se sobre as condições meteorológicas previstas. Inteire-se sobre os riscos que possam ser inevitáveis e siga os conselhos das autoridades

Vermelho: grande perigo

» Estão previstos fenômenos meteorológicos de intensidade excepcional. Probabilidade de ocorrência de grandes danos e acidentes, com riscos para a integridade física ou à vida

Fonte: CB

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here