Ataque a tiros em metrô deixa ao menos 16 feridos em Nova York; 5 estão em estado crítico

NY5.jpg

Feridos após tiroteio em estação de NY — Foto: Armen Armenian/via Reuters

Ocorrência registrada na estação Rua 36, no Brooklyn, não é investigada como terrorismo; homem negro considerado suspeito é procurado pela polícia

http://www.instagram.com/gov_df

Um ataque a tiros deixou pelo menos 16 feridos, dos quais 10 foram baleados, no metrô de Nova York, nos Estados Unidos, nesta terça-feira. Cinco vítimas estão em estado crítico, mas estável. O crime aconteceu na estação Rua 36, no bairro Sunset Park, na região do Brooklyn, por volta de 8h30, hora de maior movimento no transporte.

Passageiros correm de um vagão de metrô em uma estação no bairro do Brooklyn, em Nova York, nesta terça-feira (12) — Foto: Will B. Wylde via AP

Na primeira entrevista coletiva sobre o caso, a polícia informou que a ocorrência não está sendo investigada como um ataque terrorista, mas ainda não sabe o que teria motivado o ato de violência. Investigadores estão procurando um suspeito. Ele foi identificado como um homem negro que usava máscara de gás, colete laranja e camisa verde escura — traje semelhante ao usado por trabalhadores da construção civil.

A polícia disse que a fumaça vista na estação foi provocada por uma bomba de fumaça, e não por um dispositivo explosivo. O autor do ataque lançou o artefato e começou a atirar de dentro de um vagão do metrô. Vídeos postados em redes sociais mostraram as pessoas fugindo de um vagão para a plataforma da Rua 36, enquanto a fumaça tomava conta do local. 

Pessoa é socorrida em uma estação do metrô no bairro do Brooklyn, em Nova York, nesta terça-feira (12) — Foto: Will B Wylde via AP

Conforme a emissora de TV ABC, uma vítima baleada também teria sido encontrada na estação Rua 25, em Greenwood Heights, pouco antes das 8h30. Esse registro indicaria que ataque pode ter começado no local e terminado apenas na Rua 36.

A governadora do estado de Nova York, Kathy Hochul, aconselhou os nova-iorquinos a permanecerem “vigilantes e alertas”, dizendo que “esta é uma situação de atirador ativo agora na cidade de Nova York”.

O local do ataque

Uma passageira identificada com Claire disse ao New York Post que estava em um trem da linha N, com destino a Manhattan, quando testemunhou o ataque.

— Houve tantos disparos que perdi a conta — contou.

Patrick Berry, de 41 anos, disse que estava esperando na estação Rua 25, quando um trem da linha R chegou por volta das 8h30. Ele e sua filha de 3 anos embarcaram, mas o trem não se moveu.

— Então, de repente, da frente do trem, ouvi pessoas gritando: “Corra, corra, corra! Vá, vá, vá!”. E então todas essas pessoas passaram correndo pelo nosso vagão, e eu me senti como, “Oh, meu Deus, isso é uma debandada” — disse Berry. — As pessoas começaram a empurrar por trás. Então eu peguei minha filha e nós corremos também.

Membros do Departamento de Polícia de Nova York e veículos de emergência lotam as ruas após tiroteio em uma estação de metrô no bairro de Brooklyn, em Nova York, nesta terça-feira (12) — Foto: Angela Weiss/AFP

O Departamento de Polícia isolou toda a área e pediu que moradores evitem a região. Dezenas de agentes estão no local. A circulação de trens nas linhas D, N e R foi afetada. Oito pessoas feridas foram levadas para o NYU Langone Hospital-Brooklyn em condições estáveis.

Na esquina da Quarta Avenida com a Rua 35, dezenas de viaturas policiais se estendem por quatro quarteirões. Ao menos dois helicópteros também estão no local.

—  Vimos uma ambulância saindo com uma maca com uma pessoa que estava ferida na perna —  contou Silvana Guerrero, que estava no local. —  Depois vimos mais duas ambulâncias chegando.

Polícia procura por suspeito de atirar contra passageiros em metrô de Nova York — Foto: REUTERS/Jeenah Moon

O presidente Joe Biden foi informado sobre o tiroteio e o prefeito Eric Adams, que testou positivo para Covid-19 no domingo, também monitora a situação.

— Não permitiremos que os nova-iorquinos sejam aterrorizados, nem mesmo por um único indivíduo — disse Adams, um ex-policial, em uma mensagem de vídeo. — O Departamento de Polícia de Nova Iorque está procurando o suspeito, e vamos encontrá-lo.

Guarda Nacional do Exército de Nova York fica de prontidão na Grand Central em Nova York, após tiroteio no Brooklyn — Foto: REUTERS/Andrew Kelly

Os tiroteios na cidade de Nova York aumentaram este ano e os crimes violentos com armas têm sido o foco central do prefeito Adams desde que assumiu o cargo em janeiro. Até 3 de abril, os incidentes com tiros aumentaram de 260 para 296 em comparação com o mesmo período do ano passado, segundo estatísticas do Departamento de Polícia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

scroll to top